Arquivo da tag: Aposentadoria

Como suas Escolhas Afetam suas Finanças?

Você já parou para pensar sobre como suas escolhas de hoje afetarão suas finanças no futuro?

Ouvi uma vez um texto lido pelo Max Gehringer de um ouvinte chamado Sérgio, 61 anos, em que ele fala sobre ter gasto seu dinheiro com prazer ao longo da vida e hoje não ter um centavo guardado, mas ter sido feliz. O nome (perigoso em minha opinião) usado para divulgar este texto é “viver ou juntar dinheiro”.

dois caminhos

Acredito que a falta de contexto ou de uma introdução a este texto torna a interpretação dele perigosa.

O Sérgio em questão ressalta que se ele tivesse juntado dinheiro, “deixando de viver e de comprar seus cafezinhos e pizzas”, hoje ele usaria esse dinheiro para fazer tudo o que não fez, mas com mais idade.

Sérgio só esqueceu-se que a falta de planejamento dele ou de se fazer uma reserva para o futuro pode ter como consequência uma aposentadoria com restrições ou ter que trabalhar por muitos anos ainda para manter seu padrão de vida atual. Caso ele seja um profissional que ama o que faz e seu corpo e mente estejam aptos a continuar atuando, ótimo! E se a profissão dele exigir um dinamismo ou atenção que ele não consiga mais acompanhar? Como será seu futuro?

O pensamento do Sérgio poderia ter sido diferente e ele tem uma terceira opção nesta história. A terceira opção que proponho é viver e juntar dinheiro.

três caminhos

Tenho um porém para acrescentar a esta frase. Viver e juntar dinheiro, porém, juntar dinheiro pensando em diversos objetivos, coisas a serem atingidas e que façam sua vida mais completa e feliz.

No texto sobre Sonhos e Dívidas oriento que as pessoas “Sonhem com detalhes, se imaginem realizando este sonho. Quando estipulamos um valor para o sonho ele vira um objetivo, quando estipulamos um prazo para atingi-lo ele vira uma meta e sabendo qual será o destino, onde quero chegar, consigo imaginar melhor um caminho eficiente para atingir minha meta e coloca-lo em prática”.

Busque o equilíbrio que a equação a seguir propõe: C + V + P = QV (Consumir + Viver + Poupar = Qualidade de Vida).

equilibrio

Pensem nisso!

Abraço!

Lucas Madaleno

FGTS

Você como funciona o cálculo do FGTS, para que ele serve e como pode ser usado?

O FGTS, Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, foi criado em 13 de Setembro de 1966 com o intuito de proteger o empregado em caso de demissão. Os empregadores são obrigados a provisionar 8% do salário bruto do empregado mensalmente em uma conta na Caixa Econômica Federal (CEF) em nome do trabalhador. O saldo desta conta é corrigido por uma taxa de 3% ao ano mais TR (taxa referencial).

Levando em conta os 8% citados anteriormente vezes 13,3 meses (1 ano mais 13º salário mais adicional de férias) chegamos ao valor de 106,4%, ou seja, para facilitar os cálculos podemos supor que a cada ano trabalhado o trabalhador terá aproximadamente mais um mês de seu salário em sua conta de FGTS.

O FGTS é uma “poupança” a que todo empregado CLT tem direito, mesmo que ele não poupe nada diretamente, seu empregador “poupa” 8% de seu salário bruto em seu nome. Há algumas formas de se ter acesso ao saldo do FGTS, entendo que temos 3 principais:

– Quando se aposentar o empregado tem direito a sacar todo saldo do FGTS;

– Compra de imóvel respeitando algumas restrições, tais como: ser um imóvel com valor que pode ser financiado pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação) que hoje está em R$750.000,00, ter mais de 3 anos de conta de FGTS, não ter outro imóvel no município onde pretende comprar, não ter financiamento ativo no SFH e trabalhar ou morar no município onde pretende comprar o imóvel usando o FGTS. Obs: após a compra o saldo de FGTS pode ser usado para amortizar o financiamento. Obs 2: o saldo de FGTS pode ser usado para dar ou compor lance em consórcio imobiliário.

– Em caso de demissão por parte do empregador sem justa causa. Neste caso o empregado somente poderá sacar o FGTS referente ao que foi recolhido pela empresa de onde ele saiu acrescido de uma multa indenizatória de 40% sobre o saldo.

E ainda temos uma outra utilização que é quando o empregado tem uma doença grave ou em estado terminal.

Espero que o texto tenha ajudado a entender melhor como funciona o FGTS, qualquer dúvida me escrevam no lucas@lmfinancaspessoais.com.br

Abraços!

Lucas Madaleno

Por que queremos nos aposentar cada vez mais cedo?

Este texto foi escrito com base em diversos atendimentos que fiz este ano onde observei que quem tinha entre 20 e 30 anos e já se preocupava com aposentadoria queria atingi-la aos 40, 45 anos no máximo e quem tinha entre 30 e 40 anos queria atingir a aposentadoria o mais rápido possível, talvez em 10 anos.

Fiz-me a seguinte pergunta: Por que queremos nos aposentar cada vez mais cedo?

Com quem eu conversei havia um misto de insatisfação com o trabalho atual e vontade de se fazer o que gosta apenas quando se aposentar.

Naturalmente que se não estamos trabalhando em algo que nos dá prazer ou que nos desgasta, a vontade de sair dessa rotina o mais rápido possível cresce a cada dia. Vamos lembrar que passamos em média 9 horas por dia no trabalho (jornada de 8 horas mais 1 hora de almoço), fora o tempo de deslocamento. Passamos mais tempo envolvidos com o trabalho que com nossos familiares, amigos e em momentos de lazer.

Para o problema de insatisfação com o trabalho atual há uma solução? Sim. Busque outro trabalho, empreenda em algo que você acredita, faça um processo de coaching para se conhecer melhor, busque um significado para as atividades que realiza, enfim, não podemos ficar parados onde estamos só por comodidade, quem se acomoda envelhece mentalmente mais rápido.

Quando ouço alguém me dizer que quer se aposentar para começar a fazer o que gosta, pergunto: E o que te impede de fazer o que você gosta agora? Hoje? Faça como uma segunda profissão, um hobby que pode dar algum retorno financeiro, porque adiar sua qualidade de vida e felicidade só para a aposentadoria?

Se tivermos mais qualidade de vida hoje é natural que nos desgastaremos menos e a intenção de se aposentar cada vez mais cedo deve ficar de lado.

Abraços!

Lucas Madaleno