Máscaras de Oxigênio e as Finanças

Você está em um avião com seu filho que ainda é um bebê em seu colo e de repente, por algum motivo, caem as máscaras de oxigênio e a tripulação orienta que os passageiros as coloquem, pois, poderá haver falta de oxigênio no avião. Em quem você coloca a máscara primeiro, em você ou em seu bebê?

Diante dessa situação a resposta que ouço com mais frequência é que devemos colocar a máscara primeiro no bebê, pois ele é indefeso e não conseguiria colocar a máscara sozinho, MAS acertadamente a recomendação das empresas de aviação é que devemos primeiro colocar a máscara em nós mesmos e depois ajudar outras pessoas.

O motivo é simples, se no meio do processo de ajudar outras pessoas você perder os sentidos, você e quem você está ajudando desmaiarão, mas se você garantir o seu oxigênio, conseguirá ajudar quem quiser, pois estará consciente para isso.

Com as finanças acontece a mesma coisa, para ajudar outras pessoas financeiramente precisamos primeiro estar com nossas contas em equilíbrio e tendo certa sobra de dinheiro, pois mesmo sem perceber as ajudas que damos a outros podem se tornar pesos em nosso orçamento e a consequência disso é que as pessoas/entidades que ajudávamos deixarão de receber nossa ajuda e nossas contas também estariam prejudicadas, ou seja, os dois “desmaiariam por estar sem oxigênio”.

Em alguns momentos, diminuir ou até mesmo cortar essa ajuda a terceiros até estabelecer o equilíbrio financeiro pode ser necessário para que no futuro essa ajuda volte e com baixo risco de ser cortada novamente.

Você prefere deixar de ajudar por um tempo com possibilidades de voltar em breve e de forma constante ou não ter mais condições de ajudar?

Com certeza ajudas a pessoas/entidades não são o único fator que desequilibram um orçamento, mas neste texto quis chamar a atenção que em alguns momentos de crise precisamos pensar antes em nós por um tempo para só depois voltar a pensar também nos outros.

Abraços!

Lucas Madaleno